Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/05/19 às 15h17 - Atualizado em 5/06/19 às 10h45

Auditores da CGDF falam sobre importância da coleta de dados para transparência das informações prestadas ao cidadão

COMPARTILHAR

Renata Canuto e Leandro Shimabukuro participaram da IV Semana de Controle Interno, Transparência, Ouvidoria e Correição da CGDF

 

Os auditores de controle interno da Controladoria-Geral do DF (CGDF) Renata Canuto e Leandro Shimabukuro destacaram a importância da coleta de dados para análise e transparência das informações prestadas ao cidadão. Eles participaram do painel Inovação e Transparência 2.0 e Transformação Digital, na IV Semana de Controle Interno, Transparência, Ouvidoria e

Correição da CGDF.

 

“Para melhorar a qualidade desses dados, precisamos de um pouco mais de informações, para a gente ter melhor integridade e eficiência nas respostas. Nós estamos dentro de uma Secretaria que tem um volume grande, amplo e diverso de atividades. Lidamos com a sociedade, precisamos prestar contas e ao mesmo tempo exercer a nossa atividade de controle” afirmou Renata Canuto.

 

Ela iniciou o painel falando sobre algumas tecnologias disponíveis no mercado referente à ciência de dados. “Em termos de tecnologias disponíveis, nós temos a área de Big Data, que são os diversos bancos de dados, temos a parte de painéis, que são a análise desses dados, seja com um viés de controle, seja de identificação de indícios. Também há a área de dados abertos e a famosa área de inteligência artificial, que é o estado da arte em termos de ciência de dados”, explicou ela, considerando que esses dados, por si só, não trazem valor agregado para a instituição, sendo importante analisá-los.

 

A auditora disse que a Controladoria busca contribuir para a melhoria do controle e das atividades com base no trabalho que já foi feito dentro da instituição. “Nós estamos trabalhando com as informações que já existem, enquanto aprendemos e buscamos as demais técnicas para melhorar e trazer realmente o aprendizado de máquina para dentro das soluções da CGDF”, observou.

 

O auditor de controle interno Leandro Shimabukuro apresentou alguns painéis relativos à gestão da administração pública, com dados que foram retirados de um sistema desenvolvido para melhoria da gestão. “Essa análise de dados é feita para que se possa controlar a demanda de determinados órgãos e de áreas específicas, para que eles saibam seus pontos de risco”, falou.

 

Ele ressaltou, ainda, que tendo em vista a expectativa de mercado, é preciso intensificar o uso da inteligência artificial nas ferramentas do sistema. “Estamos indo atrás de órgãos de excelência que já estão à frente com essa tecnologia para que se possa implementar na CGDF”, informou.

 

Para Leandro, “o uso de soluções tecnológicas contribui para o combate a corrupção, a indicação da fraude, a transparência dos dados públicos, a transformação digital e auxilia os tomadores de decisão com base em informações concretas”.

 

A Semana de Controle Interno, Transparência, Ouvidoria e Correição foi promovida pela CGDF, em Brasília (DF), em parceria com a Escola de Governo do Distrito Federal (Egov) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap).