Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/11/17 às 20h16 - Atualizado em 29/10/18 às 15h44

CGDF dá palestra sobre gestão de riscos em workshop promovido pelo BRB

COMPARTILHAR

Controles internos e conformidade também foram temas do evento

 

O Banco Regional de Brasília – BRB realizou, no dia 8 de novembro, o “Workshop de Controle Internos, Conformidade e Gestão de Riscos Operacional”. A iniciativa foi voltada para servidores da instituição e aconteceu no auditório da unidade que fica na quadra da 410 da Asa Sul.

 

O controlador-geral adjunto, Marcos Tadeu de Andrade, foi um dos palestrantes e apresentou a experiência da gestão de riscos na CGDF. “É possível implantar a gestão de riscos em qualquer órgão. Vou mostrar na prática o que diz a teoria”, disse.

 

Como exemplo, Andrade falou do projeto de controle social da CGDF, o Controladoria na Escola, que teve uma matriz de risco específica para ser monitorada. De acordo com ele, foram listados os riscos inerentes ao projeto e que poderiam impactar sua execução, bem como foi feito um plano de ação para mitigar os riscos.

 

De acordo com o controlador adjunto, a gestão de riscos é uma consultoria que agrega valor à administração e pode ser implementada em toda a organização ou em parte dela. Para tanto, deve haver estrutura e comprometimento da alta gestão.

 

Ainda no âmbito da Controladoria-Geral do DF, Andrade informou que a técnica faz parte de um projeto maior adotado pela Controladoria – o IA-CM (Internal Audit Capability Model), modelo de auditoria interna desenvolvido para o setor público pelo Instituto de Auditores Internos em parceria com o Banco Mundial.

 

Também fez parte da apresentação as fases a serem seguidas na execução do projeto, como se dá a atuação do controle interno, e o papel da CGDF enquanto órgão responsável por fomentar a gestão de riscos na administração pública distrital.

Ao final, Andrade informou que a previsão no plano estratégico institucional da CGDF é implantar a gestão de riscos em 24 órgãos e entidades do Executivo até 2019. “O BRB pode buscar nosso apoio e consultoria para implantar o projeto”, disse.