Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/01/20 às 15h12 - Atualizado em 4/03/20 às 9h23

Controlador-Geral faz palestra sobre o Panorama Atual da Administração Pública no DF

COMPARTILHAR

Aldemario Castro esteve na Administração de Ceilândia a convite de Marcelo Martins da Cunha

 

O controlador-geral do Distrito Federal, Aldemario Araújo Castro, apresentou, nesta segunda-feira (20/01), a palestra Panorama Atual da Administração Pública do Distrito Federal para cerca de 100 servidores da Administração Regional de Ceilândia, a convite do administrador local, Marcelo Martins da Cunha.

 

Segundo ele, há profundas deficiência no funcionamento da administração pública do DF em termos de gestão, com repercussão na qualidade dos serviços prestados à população. “Essas deficiências são estruturais e se arrastam há décadas. Uma das missões desse governo é colocar o trem nos trilhos, porque boa parte desses problemas não se resolverão em curto e médio prazo, mas em algum momento se resolverão se o trem estiver nos trilhos, para que se tenha perspectiva da solução adequada desses problemas”, destacou.

 

Aldemario Castro ressaltou que até 95% dos servidores públicos do DF são muito bem intencionados e têm dificuldade de trabalhar por conta dessas deficiências na gestão administrativa, como o mapeamento de processos de trabalho nos órgãos.

 

“Os processos de trabalho no GDF praticamente não são mapeados em lugar nenhum. Há algumas exceções, mas a regra é não ter o mapeamento, não ter base de conhecimento para consulta. Então 95% da força de trabalho lida com essas dificuldades, embora tenha boa intenção de atuar. Mas nós temos um quantitativo significativo de servidores no lado negativo da força, que até produzem essas deficiências para se aproveitar delas”, considerou.

 

 

Ele ressaltou que com os servidores de boa fé no serviço público os órgãos de controle têm que ter toda compreensão, cuidado, apoio, já que eles estão enfrentando dificuldades que a própria administração não solucionou. “Agora, quem está de má fé, o que tem que se aplicar é responsabilização administrativa, penal e de improbidade administrativa”, disse.

 

O controlador-geral do DF também anunciou na palestra uma iniciativa que a CGDF vai tomar na área de Governança, que é fazer um levantamento de como está o mapeamento das rotinas de trabalho, chamadas de processos de trabalho, na administração do DF. Além disso, serão levantadas as boas práticas. Na sequência, a CGDF pretende adotar providências para que os principais processos de trabalho sejam efetivamente elaborados.

 

“Essas rotinas dependem de pessoas, de arquivos que estão em computadores isolados, então, você não tem estruturados em vários órgãos da administração pública. Quais são os passos e os órgãos envolvidos nos processos de compra, por exemplo? Qual o procedimento utilizado na posse de um servidor? E quando o cidadão requer alguma providência na administração? Isso deveria ter um fluxo muito claro, de quais são os passos e quem faz o quê, para tornar esse processo mais rápido, racional e efetivo. Nosso objetivo é dar segurança aos servidores e tornar esses processos mais claros e céleres”, concluiu.

 

Neste ano, a CGDF fará a segunda edição dos Diálogos com o Controle com os administrados do DF, previsto incialmente para março.