Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/06/16 às 15h29 - Atualizado em 29/10/18 às 15h31

Controladoria-Geral do DF promove eventos na Semana do Meio Ambiente

COMPARTILHAR

Em comemoração ao mês do Meio Ambiente, celebrado em junho, a Controladoria-Geral do DF, visando à adoção de práticas de sustentabilidade socioambiental, conforme previsto no Plano Estratégico Institucional 2016 – 2019, na perspectiva aprendizado e crescimento, realizou nos dias 03 e 08 de junho dois eventos em parceria com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SEMA.

 

O primeiro evento consistiu na Caminhada no Parque da Cidade, ocasião em que foram realizadas atividades de identificação de árvores no local e conversas sobre a função no planeta, no cerrado e a recuperação de áreas degradas, coordenada pela servidora Helena Maltez, Coordenadora de Áreas Protegidas e Cerrado da Secretaria de Meio Ambiente (SEMA).

 

O segundo evento foi a realização da palestra “O que esperar da mudança climática no DF?”, ministrada pela servidora Leila Spraya Menezes, Chefe da Unidade Estratégica de Clima da SEMA. Na palestra, foram abordados temas como causas das mudanças do clima, efeitos das mudanças climáticas e seus impactos, projeções e riscos nos cenários de mudanças climáticas globais e regionalizadas e governança do risco climático.

 

Além disso, a palestrante abriu espaço para reflexão quanto ao papel do Poder Público e especificamente da Controladoria-Geral do DF nesse contexto de mudanças climáticas e aumento da temperatura superficial média do Distrito Federal que, no ano de 2015, bateu recorde de temperatura, chegando aos 36,4ºC e unidade de 11%.

 

Caminhada educativa no Parque da Cidade

O evento atípico foi uma oportunidade de interação entre os membros da Controladoria e a natureza, onde, de forma descontraída, diversas reflexões e vivências foram abertas em uma roda de conversa, e cada pessoa pôde expor o que ficará marcado da experiência para o futuro.

 

Confira alguns depoimentos de participantes

A iniciativa foi bem recebida entre os participantes. “Confesso que quando cheguei, pensei: o que estou fazendo aqui? Tenho muito trabalho a fazer, um sistema para homologar. Mas no final vi o quão importante é sair um pouco do nosso ambiente de trabalho e fazer algo completamente diferente e com as pessoas as quais não nos relacionamos muito no trabalho. Acredito que esta interação é muito importante para melhorar o ambiente organizacional da CGDF”, depõe José do Reis, Ouvidor-Geral.

 

“Com essa iniciativa a CGDF dá um passo importante para o engajamento de todos os servidores no cuidado com o meio ambiente. A caminhada no Parque, além de muito agradável, nos fez refletir que somos parte de um todo que é integrado. Nossas práticas, como cidadãos e gestores públicos, podem de fato impactar positivamente para a preservação do Cerrado e do Planeta”, pondera Raissa Rossiter, chefe da Assessoria de Gestão Estratégica e Projetos.

 

Ednilson Lins Rodrigues, Chefe da Assessoria de Projetos Especiais (APRE), afirma que a visita ao Parque foi uma experiência bastante gratificante. “Em tempos em que vivemos, paradoxalmente,  muito conectados porém cada vez mais distantes, foi muito produtivo o tempo de comunhão/integração com a natureza e com as pessoas. Também foi muito positivo ver a paixão com que a professora Helena nos apresentou um pouco da biodiversidade do Cerrado” relata.

 

Para Roberto Thomé, da (APRE), a experiência foi enriquecedora, pois despertou novo olhar para a nobre causa do meio ambiente e sustentabilidade. “Participei de uma corrida no domingo e quando percebi estava procurando as sementes caídas no chão e repassando para minha esposa o conhecimento adquirido na caminhada promovida pela Controladoria”, afirma Thomé.

 

Vladimir Wuerges, da Coordenação de Governança de Tecnologia da Informação, relata que “o que mais me chamou a atenção foi a finalização do evento. Todos reunidos em círculo embaixo do abacateiro. Foi uma catarse coletiva – as sínteses individuais colaboraram para a síntese final. Foram depoimentos pessoais, sinceros e verdadeiros, feitos com o coração.“