Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/07/16 às 18h18 - Atualizado em 29/10/18 às 15h35

“Controladoria na Escola” chega para alunos do Centro Educacional 123 de Samambaia e Incra 9 da Ceilândia

COMPARTILHAR

Seguindo mais uma etapa do projeto “Controladoria na Escola”, a peça teatral “O Auto da Barca da Cidadania” foi apresentada na Escola Parque 307/308 Sul, nos dias 4 e 5 de julho, para alunos do Centro Educacional 123 de Samambaia e CED Incra 9 da Ceilândia. O objetivo foi levar informações sobre ética, cidadania e combate à corrupção aos alunos de escolas públicas do ensino fundamental e médio do DF.

A peça retrata situações de corrupção e de atitudes éticas praticadas por cidadãos em cenário de julgamento. Personagens como o professor aplicado e preocupado com o desenvolvimento dos alunos; o auditor fiscal íntegro, consciente que o seu trabalho gera resultado para a qualidade de vida do cidadão; e o jovem com visão de futuro e princípios morais confrontam os personagens do servidor público desonesto; do político corrupto; e do jovem egoísta e inconsequente.

Alunos da Escola Parque, na faixa etária entre 8 e 11 anos, também assistiram a apresentação com muita empolgação. Para seus professores essa foi mais uma atividade cultural divertida, mas muito importante para a iniciação dos conceitos de honestidade e cidadania aos pequenos.

Após a peça teatral, convidados subiram ao palco para uma roda de conversa com os alunos. Discutiram sobre combate à corrupção, sonegação de impostos, a importância da fiscalização ética da máquina pública, controle social, voluntariado e cidadania.

Roda de conversa

Jovita Rosa do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) falou sobre a Lei da Ficha Limpa, a Lei de Acesso à Informação e o combate à corrupção. Ressaltou que o caminho para um governo melhor depende da participação da sociedade. “Os políticos devem trabalhar honestamente em benefício do cidadão que o elegeu. Se houver conscientização de todos para que se unam e cobrem dos políticos, vamos conquistar melhorias e acabar com a corrupção”, disse.

Combate à sonegação com educação fiscal também foi tema da conversa. Para o servidor da Secretaria de Fazenda e membro do grupo de educação fiscal, Antonio Magno, os estudantes são importantes nesse processo. “Hoje os jovens estão mais inteirados na política e podem colaborar muito para um país melhor. O Estado não tem condições de fiscalizar todas as contas, é preciso a participação da sociedade na elaboração do orçamento e na cobrança de notas fiscais das compras que faz”, avalia o secretário.

Rodrigo Dias, coordenador de articulação do “Portal do Voluntariado”, chamou a atenção dos alunos para a importância do voluntariado. “A escola é lugar de público jovem que tem que se envolver em causas sociais, doar-se sem esperar nada em troca. O resultado será em benefício da sociedade”. Acrescentou que hoje há uma fragilidade na crença das instituições e por isso há necessidade de fortalecimentos das políticas de participação e controle social.

Ao final das apresentações, os alunos fizeram uma dinâmica, dirigida pelo Subcontrolador de Transparência e Controle Social, Diego Ramalho, e foram orientados sobre a divisão dos grupos de trabalho para a realização da auditoria cívica em suas escolas e o preenchimento de fichas com informações colhidas e as falhas a serem apontadas nas fichas durante vistoria nas instituições de ensino. Ainda no teatro, preencheram individualmente pesquisa de opinião sobre a escola em que estudam.

A auditoria acontecerá nas escolas nos dias 12, 15 e 18 de julho, no período da tarde.

Voluntariado

O projeto “Controladoria na Escola” recebeu a inscrição de 31 voluntários cadastrados no Portal do Voluntariado, lançado no último dia 21 de junho pelo Governo de Brasília. Ramalho comemora a chegada do reforço para a implementação do projeto: “acreditamos que o trabalho voluntário e a participação social é essencial para o fortalecimento das políticas públicas”.