Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/11/19 às 11h29 - Atualizado em 29/01/20 às 10h04

Estudantes do projeto De Olho na Educação executam intervenções nas escolas e elaboram projetos de lei

COMPARTILHAR

O projeto incentiva alunos a serem agentes de mudança na comunidade escolar

 

As equipes que participam do projeto De Olho na Educação da Controladoria-Geral do Distrito Federal já estão desenvolvendo projetos de intervenção para execução de melhorias nas escolas. Elas foram capacitadas pela Subcontroladoria de Transparência e Combate à Corrupção da CGDF, que incentivou o desenvolvimento de ações para melhorar o ambiente escolar das unidades.

 

O 1º Prêmio de Olho na Educação – Jovem – Edição 2019 foi lançado em agosto deste ano. O objetivo é estimular a participação de alunos, professores e de toda equipe das escolas em ações cidadãs e de controle social, para melhorar os problemas encontrados e replicar boas práticas.

 

Participam do projeto quatro escolas de gestão compartilhada com a Polícia Militar do Distrito Federal (Centro Educacional 01 da Estrutural; CED 3 de Sobradinho; CED 7 de Ceilândia; CED 308 Recanto das Emas), três do Sistema SESI/SENAI (SESI/SENAI Sobradinho, SESI Gama, SESI Taguatinga), além de sete equipes do Centro de Capacitação Profissional – Programa Fábrica Social.

 

“As tarefas especiais “Projeto de Lei” e “Projeto de Intervenção” tiveram como objetivo envolver a comunidade participante em processos que transformem a realidade das salas de aula, assim como aproximar a sociedade do processo legislativo”, informou Lucivane Madureira Sampaio, coordenadora de Inovação e Controle Social da CGDF.

 

Os projetos de intervenção desenvolvidos têm como objetivo mudar e melhorar a realidade dessas escolas. Durante essa tarefa especial, os alunos e professores analisaram as estruturas e os hábitos dos centros de ensino e propuseram diversas soluções. Entre elas estão:

 

⇒ Projeto “Para juntos crescermos”, onde os alunos com bom desempenho dão aulas e monitorias para alunos com defasagem nas matérias;

 

⇒ Projetos em que os alunos mudam hábitos e controlam a estrutura física da escola;

 

⇒ Projetos que focam na maior acessibilidade das escolas;

 

⇒ Projeto “Fitorremediação do lixão”: Os alunos procuram reverter a poluição do solo devido ao lixão encontrado na região;

 

⇒ Projetos que conscientizam sobre o machismo e a violência contra a mulher;

 

⇒ Projeto que tem como objetivo melhorar a estrutura do Auditório da escola.

 

“Muitos deles já se encontram em execução e alguns já foram concluídos. Eles contam com o apoio da comunidade escolar e até mesmo de pessoas da vizinhança dessas escolas”, disse ela.

 

O projeto também capacitou os alunos e professores, por meio da Câmara Legislativa, para serem mais ativos e participantes da vida política do Distrito Federal e criarem Projetos de Lei de Iniciativa Popular. O objetivo era tornar mais próximo dos alunos os processos de criação de leis.

 

“Assim, formamos pessoas que poderão opinar e criar regras que fazem sentido para a sociedade. Os professores incentivaram e auxiliaram seus alunos e os resultados foram 15 ideias de projetos de lei e mais de 800 assinaturas, em forma de abaixo assinado, que mostram como esses processos podem mobilizar um grande número de pessoas. Os temas dos projetos abordam questões culturais, de acesso a benefícios estudantis, métodos de aprendizagem e acessibilidade”, ressaltou Lucivane Sampaio.

 

As ações do projeto “De Olho na Educação” também abordaram tema como educação fiscal, noções de leis orçamentárias do governo e ações que incentivam o combate à corrupção.

 

O encerramento será na próxima semana na V semana de Integridade e Combate à Corrupção, quarta-feira (04/12), em cerimônia que premiará as escolas, os professores e os alunos que obtiveram o melhor desempenho.