Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/08/13 às 20h50 - Atualizado em 29/10/18 às 15h39

Ouvidoria Geral encerra segundo trimestre com 32.189 atendimentos

COMPARTILHAR

Órgão registrou 2.055 manifestações a mais nos meses de abril a junho deste ano, comparativamente com os dados do primeiro trimestre, resultando em 62.323 o número de atendimentos realizados em 2013

A Ouvidoria-Geral do Distrito Federal (OGDF), órgão vinculado à Secretaria de Transparência e Controle (STC-DF), encerrou o segundo trimestre deste ano com 32.189 atendimentos, de acordo com o Relatório de Atividades divulgado hoje, 07/08. Em relação ao período anterior, houve um crescimento de 2.055 manifestações. Com esses dados, o número total nos seis primeiros meses do ano chega a 62.323.

“O aumento do número de atendimentos deve ser considerado pelos gestores como um presente, vez que, pela primeira vez, por meio desses relatórios, políticas públicas serão efetivadas de acordo com as demandas dos cidadãos, que confiam nas ouvidorias”, enfatizou a Ouvidora-Geral, Vera Lúcia.

Entre os órgãos mais acionados pela população do Distrito Federal estão a Secretaria de Estado da Saúde (SES), que recebeu, nos meses de abril a junho, 7.144 manifestações. Em seguida, vem o Transporte Urbano do Distrito Federal (DF-Trans), que recebeu, no mesmo período, 3.367 solicitações. O terceiro órgão mais acionado pelos usuários da OGDF foi a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), com 3.115 atendimentos.

O relatório cita, ainda, a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), que fechou o segundo trimestre com 2.296 demandas recebidas pela Ouvidoria. A Secretaria de Educação (SEDF) recebeu 1.456 solicitações, o Departamento de Trânsito (Detran), 1.141, e o Metrô foi responsável por 1.081 manifestações.

Usuários

Quando se traça o perfil dos usuários que mais contataram a Ouvidoria-Geral, destacam-se as mulheres. Elas foram responsáveis por 17.532 manifestações, o que corresponde a 54,46% do total aferido no período. Os homens realizaram 13.245 manifestações, representando 41,08%. Outra parte dos usuários, que corresponde a 4,45% do total, não foi incluída em nenhum dos dois perfis por serem pessoas jurídicas, ou por terem feito alguma denúncia que exigiu sigilo de identidade.

Quando divididos por assunto, os dados indicam que as reclamações ainda representam a maioria dos atendimentos. No segundo trimestre foram 14.165, um aumento de 15,93% se comparado com o trimestre anterior. Nesse âmbito, destacam-se a má conduta dos motoristas de ônibus, o descumprimento de horário na parada de ônibus, o mau atendimento nas unidades de saúde e a dificuldade para o agendamento de consultas.

Os elogios aos serviços prestados pelo Governo do Distrito Federal (GDF) somaram 969 manifestações, ou 3,1% do total. Em comparação com o período anterior, o crescimento dessa demanda foi de 41,05%. Os usuários elogiaram, em maioria, o atendimento dos profissionais de saúde, algum funcionário de órgão ou unidade, e as ações do GDF.

As solicitações somaram 12.585 demandas, o que corresponde a 39,10% do total. O número aumentou em 5,42% em relação ao primeiro trimestre. Nesse aspecto, lideram os pedidos: a poda de árvores, a operação tapa-buracos em ruas e avenidas e o agendamento de consultas médicas.

As denúncias somaram 2.683 atendimentos, ou seja, 8,34% do total, um crescimento de 4,60% em relação ao primeiro trimestre de 2013. Em geral, os cidadãos citaram a invasão de áreas públicas, a construção irregular de obras privadas e as obras sem alvará de construção.

Combate à corrupção

A Ouvidoria de Combate à Corrupção, unidade especializada da OGDF, recebeu 42 manifestações, ou 0,13% do total em todo o 2º trimestre. Em comparação ao período anterior, o crescimento foi bastante expressivo: 740%. Os usuários enviaram informações sobre irregularidades em licitações, direcionamento de edital de licitações e descumprimento de cláusulas contratuais.

Canais de acesso

Para acionar a Ouvidoria, o telefone foi o meio preferido por 63% dos usuários. A internet foi utilizada por 18% dos cidadãos e 13% deles manifestaram-se de forma presencial. O e-mail foi utilizado por 4% dos cidadãos. Os demais meios de contato – carta, 0800, ofício, mídia e fax – somaram, juntos, 1,23% dos atendimentos.

Os dados apresentados pelo relatório atestam que o trabalho de criação e reestruturação das ouvidorias especializadas dos órgãos e entidades do Governo do Distrito Federal está atingindo resultados positivos. Entre as ações mais recentes, está o lançamento do novo telefone da Ouvidoria, por meio do número 162, e do site, no endereço www.ouvidoria.df.gov.br

Compromisso

 A Ouvidoria é um canal de atendimento direto ao cidadão, para que ele se manifeste apresentando denúncias, reclamações, sugestões ou elogios em relação aos serviços públicos, e também é o espaço adequado para viabilizar o acesso à informação pública.

O papel da Ouvidoria-Geral é coordenar, analisar e monitorar a qualidade dos registros, encaminhar as manifestações ao setor competente em busca de solução e zelar para que todo cidadão obtenha resposta à manifestação registrada.

“Hoje, o GDF já conta com cerca de 100 ouvidorias. A presença do ouvidor nos diversos órgãos e entidades do DF é demonstração de respeito aos cidadãos e do compromisso que o GDF tem por serviços públicos mais efetivos”, destacou a Secretária de Transparência e Controle, substituta, Alzira Angeli.

Serviços:

• Ouvidoria Geral do Distrito Federal:

   Anexo Palácio do Buriti – 14º andar, sala 1404

   Horário de atendimento: de segunda a sexta de 9h às 12h e 14h às 17h

• Telefone da Ouvidoria: 162

• Sítio na internet: http://www.ouvidoria.df.gov.br/

• Secretaria de Transparência: http://www.stc.df.gov.br/

• Ouvidoria de Combate à Corrupção: telefone: 0800-6449060