Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/11/19 às 13h13 - Atualizado em 5/12/19 às 10h53

Projeto da De Olho na Educação da CGDF recebe relatórios de inspeção das escolas participantes

COMPARTILHAR

Foram levantados os problemas a serem resolvidos, além das boas práticas

 

A Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF) recebeu os relatórios de auditoria cívica das dez equipes participantes do 1º Prêmio de Olho na Educação – Jovem – Edição 2019, lançado em agosto deste ano. O objetivo é estimular a participação de alunos, professores e de toda equipe das escolas em ações cidadãs e de controle social, para melhorar os problemas encontrados e replicar boas práticas.

 

Na CGDF, quem cuida do projeto é a Coordenação de Inovação e Controle Social, da Subcontroladoria de Transparência e Combate à Corrupção. Essa foi a conclusão de mais uma etapa, onde os alunos e professores identificaram o que precisa ser melhorado nas escolas, quais são as soluções para os problemas e o prazo para execução das ações. Também foram identificadas as boas práticas que podem ser aplicadas em outras escolas do DF.

 

Participam do projeto quatro escolas de gestão compartilhada com a Polícia Militar do Distrito Federal (Centro Educacional 01 da Estrutural; CED 3 de Sobradinho; CED 7 de Ceilândia; CED 308 Recanto das Emas), três do Sistema SESI/SENAI (SESI/SENAI Sobradinho, SESI Gama, SESI Taguatinga), além do Centro de Capacitação Profissional – Programa Fábrica Social.

 

Os relatórios apresentados trazem os apontamentos que vão subsidiar os projetos de intervenção para solucionar os problemas, e alguns serão desenvolvidos com o apoio da Fábrica Social. Normalmente, as intervenções são na estrutura física das escolas, em processos de melhorias internas, como por exemplo, na limpeza e no sistema de coleta de lixo, e comportamental. No ano passado, por exemplo, como havia um alto índice de adolescentes com problemas de automutilação em uma das escolas, uma psicóloga da Secretaria de Saúde foi convidada para fazer terapia coletiva com os alunos.

 

“A conclusão desta etapa nos deixa mais próximos do objetivo final, que é o de instruir e preparar cidadãos para auxiliar e propor ideias para o melhoramento das escolas do Distrito Federal de forma ativa. Agora os educandos começam a propor soluções para os problemas apontados no ambiente escolar, na forma de intervenção ou minuta de projeto de lei de iniciativa popular”, informou a coordenadora de Inovação e Controle Social, Lucivane Madureira Sampaio.

 

Etapas

 

Desde agosto quando foi lançado o projeto, os estudantes e professores já passaram por um Whorkshop de Capacitação sobre diversos temas: combate à corrupção, educação fiscal e financeira, auditoria cívica, o papel da ouvidoria, formulação de leis, violência de gênero, inovação e controle social, lei de acesso à informação, normas do Estatuto da Criança e do Adolescente, responsabilidade social, e direitos essenciais, de gênero e dos deficientes. Também visitaram a Câmara Legislativa do DF e o Congresso Nacional.

 

As escolas agora vão finalizar as últimas tarefas ordinárias, com ações para fixação dos conteúdos apresentados no Whorkshop de Capacitação, nas áreas de Educação Fiscal, Orçamento Fácil, e Combate à Corrupção. Além disso, vão estimular as crianças a tirarem a sua primeira identidade, que garante a segurança da criança em diversas situações e nos casos de desaparecimento.

 

Em breve, serão lançados os regulamentos das tarefas especiais: Feira de Negócios, Projeto de Lei e Projeto de Intervenção. “O apoio do controle social permite um governo mais eficiente quanto à fiscalização de aparelhos públicos e torna o cidadão agente da mudança da sua realidade local”, destacou Lucivane Sampaio.

 

Veja abaixo as fotos da apresentação dos relatórios para a comunidade.