Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/12/17 às 11h38 - Atualizado em 29/10/18 às 15h46

Rede de Controle: trabalho integrado no combate à corrupção é tema de seminário

COMPARTILHAR

Controlador-Geral do DF foi palestrante

 

Nesta quarta-feira, 6 de dezembro, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios promoveu, em parceria com a Rede de Controle, o seminário “Combate à corrupção: a importância da atuação em rede.”

 

O evento celebrou o Dia Internacional de Combate à Corrupção (09.12) e teve o objetivo de promover o debate sobre a forma de integração dos órgãos de controle e a sociedade civil visando fortalecer o combate à a corrupção.

 

O primeiro painel abordou a relevância da prevenção primária e do controle social dos recursos públicos. O conselheiro nacional do Ministério Público, Sílvio Amorim, falou sobre a campanha #TodosJuntosContraCorrupcao, que tem a finalidade de consolidar e disseminar propostas de prevenção à prática da corrupção. Ao todo, foram recebidas mais de 90 propostas. As 22 melhores receberam certificado e ficarão disponíveis em banco de ideias na Internet. O projeto Controladoria na Escola, da Controladoria-Geral do DF, foi uma das iniciativas certificadas.

 

O segundo painel tratou da atuação integrada dos órgãos de controle para o enfrentamento à corrupção e contou com a participação do controlador-geral do Distrito Federal, Henrique Ziller.

 

De acordo com o controlador-geral do DF, é indispensável a atuação em conjunto, inclusive com a troca de informações. “Não é simples fazer essa rede colaborativa, não é simples confiar uns nos outros. Nós queremos receber informação, mas não queremos partilhar. Precisamos avançar nesse aspecto”, completou.

 

Rede de Controle

Criada em 8 de dezembro de 2016, a Rede de Controle da Gestão Pública do Distrito Federal é formada pelo MPDFT, pelo Ministério Público de Contas, pelo Tribunal de Contas, pela Controladoria-Geral, pela Secretaria de Fazenda e pela Polícia Civil. A iniciativa visa integrar os órgãos que atuam na fiscalização do uso de recursos públicos e estabelecer práticas uniformes para o diagnóstico, a prevenção e a repressão à corrupção. Também busca fomentar a organização da sociedade civil e dos cidadãos para que denunciem aos órgãos de controle práticas irregulares ou ilícitas que identifiquem na Administração Pública.

 

Com informações do MPDFT