Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/04/14 às 16h52 - Atualizado em 29/10/18 às 15h43

Transparência e Educação lançam oficialmente concurso de desenho para estudantes do campo

COMPARTILHAR

Podem participar os alunos do 9º ano, que farão um desenho sobre o tema “A juventude do campo ligada na transparência”. As inscrições vão de 12 a 23 de maio

 

Foi lançado oficialmente nesta quinta, 10, durante a Plenária do Fórum Permanente da Educação do Campo, o concurso cultural “A juventude do campo ligada na transparência”. Criado pela Subsecretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção (SUTPC), unidade da Secretaria de Transparência e Controle (STC), ele é voltado a estudantes do 9º ano das Escolas do Campo do DF e será realizado em parceria com a Secretaria de Educação do DF (SEDF).

 

No evento, estavam presentes os representantes das Escolas Rurais e representantes de outros órgãos do GDF, além de integrantes de movimentos sociais. Durante a abertura, o Secretário-Adjunto de Transparência, Murillo Gameiro, ressaltou a importância da parceria com a SEDF na realização do concurso cultural, cujo objetivo é a disseminação da consciência sobre Transparência e Controle Social da Administração Pública.

 

“Nossa ideia é incentivar as crianças e os adolescentes a iniciarem desde cedo sua participação ativa na vida de cidadão. Assim, eles saberão da necessidade de transparência na Administração Pública e da importância do controle social”, afirmou Murillo.

 

O Secretário de Educação do DF, Marcelo Aguiar, parabenizou a STC pela criação do concurso. Para ele, essa ação ajuda, também, a fortalecer a política de Educação no Campo. “Essa iniciativa é fundamental por privilegiar a discussão de uma Educação voltada para os alunos e para a cultura do campo”, acrescentou.

 

CONCURSO – Para participar, o estudante deve criar um desenho inédito e original sobre o tema proposto. As inscrições vão de 12 a 23 de maio.

 

Serão premiados os três melhores trabalhos apresentados, o professor de cada estudante premiado e a escola do campo à qual pertencer o vencedor em primeiro lugar.

 

Os professores terão papel fundamental na realização do concurso, pois cabe a eles a missão de trabalhar o tema em sala de aula, incentivar o debate no ambiente familiar e ajudar na organização e supervisão dos desenhos que concorrerão aos prêmios. Além disso, cada escola deverá escolher, entre todos os desenhos produzidos pelos alunos, aquele que irá representá-la na disputa.

 

Depois de escolhido, o desenho deverá ser entregue, pessoalmente, na Secretaria de Transparência e Controle do Distrito Federal, localizada no Anexo do Palácio do Buriti, 12º Andar, Sala 1205, junto com a Ficha de Participação devidamente preenchida. O formulário está disponível no site da STC.

 

PREMIAÇÃO – Para o desenho classificado em 1º lugar, o estudante, o professor e a escola serão premiados, cada um, com um notebook e uma máquina fotográfica. Para o trabalho classificado em 2º lugar, o estudante e o professor receberão, cada um, um iPod Nano e uma máquina fotográfica. Em 3º lugar, o estudante premiado e o professor receberão, cada um, um MP3 Player e uma máquina fotográfica.

 

O resultado será divulgado no dia 30 de maio, no site da STC. A entrega dos prêmios ocorrerá no mês de junho, em solenidade cuja data será divulgada em breve.

 

O julgamento dos trabalhos será realizado por uma Comissão formada por três representantes da Secretaria de Transparência e por três representantes da Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal. Caberá à Comissão Julgadora do Concurso, ainda, conceder menção honrosa nos casos em que for pertinente.

 

REGULAMENTO – De acordo com o regulamento (que está disponível aqui), não será aceito mais de um desenho por escola para concorrer à premiação. É proibido inscrever trabalhos com teor pornográfico e/ou discriminatório, que contenham citações a políticos ou partidos ou que apresentem termos depreciativos ou palavrões.

 

Também serão desclassificados os desenhos que não respondam diretamente ao tema proposto ou que estejam fora das especificações. Os trabalhos devem ser elaborados individualmente.