Governo do Distrito Federal
2/06/22 às 14h36 - Atualizado em 2/06/22 às 14h36

Por mais inclusão servidores das ouvidorias do GDF concluem curso de Libras

 

Formação contribui para tornar o serviço de ouvidoria acessível a todos os cidadãos

 

“A língua de sinais é bem difícil porque são muitas palavras novas e estamos acostumados a aprender outras línguas por meio da fala. Já a Libras usa sinais e gestos e não é simplesmente uma linguagem de mãos, mas tem todo um contexto que a gente precisa aprender”, conta Ana Maria Moreira da Silva, servidora da Ouvidoria-Geral do DF.

 

Ela concluiu, nesta quarta-feira (1/6), o curso básico de Libras oferecido pela Escola de Governo (Egov) e se apaixonou pela nova língua: “Sempre tive curiosidade pela linguagem de sinais e foi apaixonante. Eu descobri um novo mundo e uma nova língua. Além disso, a dificuldade que as pessoas surdas têm de se comunicar é muito grande. Termos pessoas dentro do Governo e da ouvidoria que saibam se comunicar com elas e entendam o que elas precisam é muito importante”.

 

Dos 66 servidores que acabaram de se formar pela Egov no curso de Libras, 15 atuam nas ouvidorias do Governo do Distrito Federal. O chefe da Ouvidoria da Administração Regional do Park Way, Amphrisio Romeiro Filho, disse que o plano de ação da ouvidoria para 2022 inclui a acessibilidade. “Por isso resolvi fazer. Sempre tive vontade de aprender Libras e aproveitei a oportunidade. Valeu a pena, achei o curso maravilhoso. Ajuda a nos comunicarmos melhor com a comunidade dos surdos. Acredito que com esse curso melhore muito a questão da acessibilidade. A gente passa a conhecer o universo dos surdos e a vontade que temos é de aprender para poder ajudar, para dar acesso para essas pessoas, para que os direitos delas sejam garantidos. Acredito que esse é o meio mais eficaz de inclusão social”, afirma Amphrisio, que atua no serviço de ouvidoria desde 2016.

 

Ouvidoria acessível a todos

 

O serviço de ouvidoria do GDF já possui atendimento em Libras. As pessoas surdas que querem fazer um registro de ouvidoria podem acessar o site da Ouvidoria-Geral, clicar no ícone do lado direito da tela, preencher os dados e dar início ao videoatendimento em Libras. A ligação é feita pela internet, de segunda a sexta, das 7h às 21h, e sábado, domingo e feriados, das 8h às 18h.

 

A Ouvidoria-Geral do Distrito Federal, unidade da Controladoria-Geral do DF, trabalha para que todos os serviços sejam acessíveis a todas as pessoas, especialmente para que todos possam melhorar o Governo do Distrito Federal e a acessibilidade geral da cidade por meio das manifestações de ouvidoria.

 

“A acessibilidade faz parte da nossa missão. Devemos oferecer acesso ao serviço de ouvidoria a todas as pessoas. E quando percebemos que havia espaço para melhorarmos nesse sentido, colocamos a acessibilidade como pilar do nosso Plano de Ação 2022. Temos várias ações em andamento: firmamos parceria com a Secretaria da Pessoa com Deficiência; oferecemos curso de atendimento inclusivo e acessível; e incentivamos os servidores que atuam nas ouvidorias a se capacitarem em Libras. Vamos incluir uma categoria especifica no nosso concurso de Boas Práticas em Ouvidoria Pública para reconhecer projetos acessíveis e teremos um manual sobre como pessoas com deficiência visual podem usar o sistema de Ouvidoria”, ressalta a ouvidora-geral do DF, Cecília Fonseca.

 

Governo do Distrito Federal